03 mai - 23:41

Pablo Cuevas, o último dos quatro fantásticos

De uma derrota no fim de semana inaugural, tenista uruguaio passou a ser um dos quatro fantásticos que compõem a programação do segundo sábado do torneio.

Entre ter sorte e saber aproveitá-la há uma grande diferença e Pablo Cuevas está a provar que sabe agarrar uma oportunidade quando esta lhe é dada.

Se há cinco dias o veterano de 33 anos se preparava para dizer adeus ao Clube de Ténis do Estoril com uma derrota na última ronda da fase de qualificação, a desistência de Filip Krajinovic — que chegou à final do ATP 250 de Budapeste — deu-lhe um novo fôlego e agora a aventura parece não ter fim.

Esta sexta-feira, no último encontro da sessão noturna, Pablo Cuevas colocou um ponto final na campanha de Frances Tiafoe, o finalista de 2018 que este ano chegou a Portugal numa forma diferente, mais cansado, ao vencer por 6-0, 6-7(5) e 6-2 quando os ponteiros do relógio já passavam das 23 horas.

Por esta altura, o estatuto de lucky loser já não faz justiça ao número 67 do mundo, que ainda há duas semanas tinha cruzado (e vencido) caminhos com João Domingues na final de um torneio da “divisão” inferior — o Challenger de Tunes, na Tunísia.

Agora, o uruguaio é um sério candidato a erguer o título, ou não se tratasse de um especialista em terra batida (já ergueu seis troféus ATP com os pés no pó de tijolo) e do mais experiente dos tenistas em prova.

O próximo duelo, esse, será frente a outro tenista da nova geração: o espanhol Alejandro Davidovich Fokina, que começou a semana na fase de qualificação, depois somou a primeira vitória da carreira em quadros principais de um torneio ATP e agora já está nas meias-finais.

patrocinadores
;