05 mai - 17:48

‘Conquistador’ João Sousa vence encontro impróprio para cardíacos e chega à final

Pela primeira vez na história do Millennium Estoril Open, há um português na final: João Sousa, o número 1 nacional e melhor de todos os tempos, derrotou Stefanos Tsitsipas por 6-4, 1-6 e 7-6(4).

À conquista do Millennium Estoril Open: João Sousa, que até este ano nunca tinha ganhado um encontro de singulares no ATP 250 português, selou este sábado a quarta vitória consecutiva para chegar à final de singulares perante uma sessão totalmente esgotada à qual nem o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, quis faltar.

Tal como nas eliminatórias anteriores, também hoje o adversário era de peso: Stefanos Tsitsipas, o jovem grego que na semana passada atingiu a final do ATP 500 de Barcelona (só foi travado por Rafael Nadal) e que no Clube de Ténis do Estoril já tinha deixado pelo caminho o primeiro cabeça de série, Kevin Anderson.

As dificuldades que já se previam traduziram-se quase a papel químico para a terra batida do Estádio Millennium. Mas não sem antes João Sousa dar muito e bom espetáculo. Foi dele, aliás, o primeiro e único break do parcial inaugural (ao sétimo jogo), que deu uma enorme injecção de confiança aos mais de 3.000 espetadores que preencheram por completo as bancadas.

Ao domínio inicial do tenista treinado por Frederico Marques seguiu-se a reação de Tsitsipas, que ao contrário do que se poderia pensar não apresentou grandes sinais de desgaste e, de forma categórica, conseguiu empatar a contenda sem grande contestação. Pelo caminho perdeu apenas um jogo e assim o duelo foi a três parciais -- outra vez.

Depois? Déjà vu. Tal como já tinha acontecido frente a Kyle Edmund, o melhor tenista português de todos os tempos fez "reset" e não desarmou, sendo dele a grande maioria das investidas que poderiam ter dado por terminado o encontro antes do “prolongamento”. Mas ‘El Greco’ já mostrou que nunca se dá por vencido e adiou até à última instância a decisão, obrigando João Sousa a exceder-se para, no tiebreak do terceiro set, dar ao ténis português uma das suas maiores alegrias.

Na conferência de imprensa que se seguiu, o número 1 nacional não escondeu toda a sua satisfação por estar na final. “É sem dúvida muito especial por ser em casa. É um orgulho enorme poder estar nesta final e ver que as pessoas desfrutaram com ela. Acho que o ambiente hoje esteve fantástico, como tem estado nos últimos dias, e as pessoas deram-me muitíssima força para alcançar a tão desejada final.

Naquele que considera ser “o ano em que me senti melhor preparado em termos de confiança, qualidade e experiência”, João Sousa vai procurar na terra batida do Clube de Ténis do Estoril o 3.º troféu de campeão em torneios ATP, depois de em 2013 se ter estreado a vencer torneios na cidade malaia de Kuala Lumpur e, em 2015, ter fechado a época com a vitória em Valência.

patrocinadores
;